Transporte e armazenamento de sementes exigem uma série de cuidados

A umidade relativa e temperatura interferem diretamente no vigor e na germinação da semente. Estar atento a todo esse processo garante a manutenção do potencial produtivo dos lotes

De antemão, é primordial compreender a semente como um ser vivo que tem um metabolismo ativo, que reage em função da temperatura do ambiente e da umidade relativa. Tomando como base a cultura da soja, principal expoente econômico da última safra, quando se trata do armazenamento da semente – também entendida como uma unidade de produção –, o cenário ideal é que seja mantida em um local onde a temperatura ambiente seja inferior a 25°C. Ainda, quanto menor esta temperatura, melhor.

Os desafios logísticos são grandes para manter a qualidade fisiológica dos lotes de sementes ao longo do processo logístico, principalmente quando o transporte ocorre entre regiões com temperatura e umidade relativa distintas. Neste cenário, um grande aliado é uma logística rápida e precisa, construída com o objetivo de proporcionar aos lotes de sementes um armazenamento temporário eficaz, ágil e preciso.

Em uma visão moderna do armazenamento, recomenda-se como ferramenta auxiliar ao processo logístico a estruturação em pontos estratégicos de centros de distribuição de sementes com ambiente climatizado. Esses centros devem estar localizados em regiões estratégicas e devem ser utilizados como um eixo de ligação entre o produtor de sementes, o distribuidor e o agricultor.

Quando o controle da temperatura é desconsiderado e a semente, que anteriormente estava em uma câmara refrigerada, é exposta a um clima mais quente, a semente ativa seu metabolismo e degrada suas reservas, o que compromete o vigor. O recomendável é manter a semente em condições climáticas entre 12°C a 17°C durante o armazenamento, favorecendo a manutenção da qualidade fisiológica que foi construída ao longo do ciclo de produção pelo produtor de sementes.

Outro aspecto que o produtor deve se atentar é a umidade relativa, em que o ideal é que fique abaixo de 70%, mas superior a 55%. Quando armazenada a baixa umidade, ocorre a perda de umidade na semente, expondo-a ao dano por embebição no campo. Os lotes de sementes com baixa porcentagem de umidade no momento da semeadura, exigem maior atenção às boas práticas de plantio, visando proporcionar um ambiente, reduzindo o risco de dano por embebição com alta disponibilidade de água no solo nas primeira 24 horas, podendo levar as unidades de produção à morte ou a limitação.
Também é fundamental prestar atenção na ambientação da semente. Dados preliminares coletados nos últimos três anos apontam que o melhor procedimento é elevar a temperatura da câmara a 17°C nos dias anteriores à expedição para a lavoura, diminuindo o máximo a variação da temperatura entre a câmara-fria e o campo.

Para o transporte de sementes é recomendado a impermeabilização da carga, reduzindo riscos de entrada de água em decorrência de uma precipitação pluviométrica. Além disso, a saída do caminhão deve ocorrer logo após o término do carregamento, priorizando a descarga no cliente final. Esses cuidados com transporte e armazenamento farão com que a semente mantenha a qualidade, com altos índices de vigor e germinação construídos durante todo o ciclo produtivo.

Outros aspectos que devemos considerar durante o armazenamento, é sempre utilizar estrado de madeira embaixo das embalagens, restringindo a troca brusca de temperatura entre piso de concreto ou terra com as sementes. Neste ambiente devemos priorizar o controle de animais, pragas e doenças, uma ventilação adequada, ausência de luz direta e indireta e evitar armazenar outros insumos junto aos lotes de sementes.

CHECK-LIST DO ARMAZENAMENTO

  • Avaliar a temperatura e a umidade relativa do armazém. Recomenda-se sempre uma temperatura inferior a 25°C, sendo a faixa ótima entre 12°C a 17°C.
  • Recomenda-se um cuidado extra com relação a umidade relativa do ar no interior do armazém, esta deve estar entre 55% e 70%.
  • Evitar a presença de outros insumos ou grãos no mesmo espaço físico.
  • Não utilizar folhas translúcidas no telhado e laterais do galpão, reduzindo a entrada de luz.
  • Recomenda-se a construção do armazém com uma altura do pé-direito superior a 8 m.
  • A utilização de estrado de madeira ou similar embaixo das embalagens reduz a troca de temperatura e o risco de acúmulo de umidade.
  • Monitorar diariamente ao longo do período do armazenamento a presença de goteiras sobre as pilhas, a entrada externa de água através de portas e aberturas, a ocorrência de animais, roedores e afins que possam danificar as embalagens.
  • Um ambiente adequado proporcionará uma reduzida atividade metabólica nas sementes durante esta importante etapa pré-plantio.
  • Não violar as embalagens ao menos que seja para realizar o tratamento de sementes.

O texto de minha autoria foi publicado na edição 47 da revista Novo Rural

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: